12 de abr de 2015

5 coisas que você precisa saber sobre os carros blindados



5 - Manutenção e garantia

Um carro blindado também implica cuidados especiais e maiores custos com manutenção. As empresas especializadas em blindagem costumam oferecer garantia de dois anos e a cobertura é voltada apenas para defeitos da blindagem. No caso de um conserto ou reparo do automóvel (em razão de uma colisão, por exemplo) os custos de manutenção podem pesar: em geral, um reparo na carroceria ou nos vidros de um veículo blindado pode custar cerca de 20% mais do que o mesmo processo em um automóvel comum.

4 - Seguro

Embora diminua a probabilidade de furtos em cerca de 30%, o alto custo de um eventual reparo faz com que isso acabe refletindo no valor do seguro de blindados. Para minimizar o problema, assim como ocorre com acessórios (sistema de áudio, rodas e equipamentos específicos), as seguradoras geralmente tratam a blindagem à parte. Desse modo, no caso de reparos de partes não-blindadas (retrovisores, grade dianteira e faróis, por exemplo), a franquia tem o mesmo valor que a franquia de um veículo normal, evitando que o assegurado seja obrigado a pagar um valor muito mais alto ao acionar o seguro nesse caso.


3 - Peso x Potência

Uma das principais preocupações na hora de blindar um veículo é o peso extra da blindagem, que varia de 70 kg a 130 kg, em média, de acordo com o modelo do carro e o nível de proteção utilizada. Consequentemente, esse peso extra gera a perda de potência, e caso a estrutura do carro não o suporte, o carro pode sofrer sérios danos em sua estrutura, passando a ter restrições sobre o volume de carga e de passageiros. Portanto é extremamente importante que o consumidor busque as orientações de empresas e profissionais que conheçam o assunto.


2 - Consumo de Combustível

Devido ao peso extra e o aumento do esforço do motor para que o automóvel se locomova, a blindagem aumenta ligeiramente o consumo de combustível. Esse aumento pode variar muito dependendo do modelo e do tipo de blindagem. Materiais como o kevlar (manta de aramida), além da otimização da utilização do aço para que o peso seja o menor possível, são algumas das novas tecnologias usadas atualmente para reduzir o peso da blindagem e diminuir o consumo de combustível.


1 - Pneus não podem ser blindados

Muitos acreditam que os pneus também possam ser blindados, mas segundo Fábio Rovêdo de Mello, da Concept Blindagens, a coisa não funciona bem assim. Cada roda recebe um sistema de proteção, que pode ser uma cinta de aço ou polímeros especiais. Esses dispositivos permitem que o veículo rode por alguns quilômetros a certa velocidade e aumentam a probabilidade de deslocamento até uma zona de segurança.